Você sabe como funciona a venda por operação triangular? Esse é um assunto que desperta muitas dúvidas em empresas que não estão habituadas a esse tipo de operação – principalmente no momento de emitir a nota fiscal eletrônica.

A venda triangular é operação em que a empresa precisa enviar o produto vendido diretamente para o cliente de seu cliente. Imagine que você trabalhe com a importação de vinhos e seus clientes sejam comércios atacadistas. Entretanto, um dos seus clientes faz um pedido de compra de mercadorias que já estão vendidas para um supermercado e é solicitado que você envie esses produtos diretamente para esse estabelecimento. E agora, como você deve agir?

Para acabar com as suas dúvidas sobre o assunto, veremos tudo sobre venda por operação triangular. Confira.

O que é venda por operação triangular?

Conforme acabamos de ver, a venda triangular é a operação em que você deve entregar a mercadoria vendida para o cliente do seu cliente. Para que isso fique mais claro, vamos definir as três pessoas envolvidas nessa operação:

  • Fornecedor (sua empresa): essa é a empresa que está em posse da mercadoria vendida.
  • Revendedora: é a empresa que adquiriu a mercadoria com o intuito de revendê-la.
  • Cliente final: é o cliente que comprou a mercadoria do revendedor – podendo ser uma pessoa física ou jurídica.

Em uma operação de vendas normal, o fluxo de operações seria:

  1. A mercadoria sai da sua empresa e é entregue na empresa revendedora.
  2. Após recebida a mercadoria, a empresa revendedora faz a venda e entrega o produto para o cliente final.

Entretanto, na venda por operação triangular, a operação acontece de forma diferente: a mercadoria sai da sua empresa e é entregue diretamente para o cliente final – mesmo que quem faça o pagamento pela compra seja a empresa revendedora.

Como funciona a emissão da nota fiscal eletrônica na venda  triangular?

Em uma primeira análise, a venda triangular não teria problema algum para a sua empresa: basta modificar o endereço de entrega das mercadorias. Entretanto, é necessário que você dê uma atenção especial para a emissão da nota fiscal eletrônica nessa operação.

Para que a venda por operação triangular aconteça sem problemas, é preciso que a sua empresa emita duas notas fiscais: uma para a empresa revendedora e outra para o cliente final. Caso contrário, não será possível transportar o produto até o destino combinado.

CFOP da venda triangular

O maior desafio da venda por operação triangular é encontrar o CFOP (Código Fiscal de Operações e Prestações) adequado. Veja quais são os códigos de operação que você deve informar na nota fiscal eletrônica:

Nota fiscal para a empresa revendedora

  • CFOP 5.118 ou 6.118: venda de produção do estabelecimento entregue ao destinatário por conta e ordem do adquirente originário, em venda à ordem.

Nota fiscal para o cliente final

  • CFOP 6.923 ou 5.923: remessa de mercadoria por conta e ordem de terceiros, em venda à ordem.

Em ambos casos é preciso ficar atento ao primeiro dígito do código:

  • 5.000: saídas de mercadorias dentro do estado.
  • 6.000: saídas de mercadorias para outros estados.

Além disso, é importante ressaltar que a nota fiscal emitida para o cliente final é isenta de tributação e utilizada exclusivamente para fins de transporte. A empresa revendedora deve emitir uma nota fiscal para o cliente final e realizar o recolhimento dos tributos devidos na operação.

Você já conhecia o funcionamento da venda por operação triangular? Gostaria de receber mais informações como essa? Então assine a nossa newsletter agora mesmo!

OUTROS POSTS

Planejamento tributário para 2019: 5 dicas de como fazê-lo

Postado em 10 de janeiro de 2019

DeSTDA: tudo o que você precisa saber sobre essa obrigação

Postado em 13 de dezembro de 2018

DIFAL: o que é e como calcular?

Postado em 12 de dezembro de 2018

NFe denegada: o que é e como resolver?

Postado em 27 de novembro de 2018

Qual a diferença entre Contribuinte, Contribuinte Isento e Não Contribuinte de ICMS?

Postado em 21 de novembro de 2018

SPED Fiscal: Versão 3.0 do Guia Prático

Postado em 8 de outubro de 2018

Regime Tributário: Qual escolher?

Postado em 2 de outubro de 2018

O que é Substituição Tributária?

Postado em 20 de setembro de 2018

O que é CEST?

Postado em 18 de setembro de 2018

O que é SPED Contribuições?

Postado em 14 de setembro de 2018

NCM para autopeças: Os riscos de uma classificação errada

Postado em 16 de agosto de 2018

O que é NCM e qual a sua importância?

Postado em 7 de agosto de 2018

Tabela CFOP: o que é e para que ela serve?

Postado em 10 de julho de 2018

NF-e de Transferência para Filial: Como emitir?

Postado em 5 de julho de 2018

6 perguntas frequentes sobre a ECD

Postado em 21 de junho de 2018

O que muda com a NF-e 4.0?

Postado em 19 de junho de 2018

Tudo o que você precisa saber sobre o bloco K do SPED Fiscal

Postado em 8 de junho de 2018

O que é manifestação do destinatário?

Postado em 29 de maio de 2018

O que fazer quando você perde suas notas fiscais?

Postado em 25 de maio de 2018

O que é e como funciona o SPED Fiscal?

Postado em 18 de maio de 2018

Cancelamento de nota fiscal após 24 horas

Postado em 4 de maio de 2018

Como emitir NF-e não contribuinte

Postado em 25 de abril de 2018

Como emitir uma NF-e com DIFAL

Postado em 20 de abril de 2018

Como emitir NF-e com Substituição Tributária

Postado em 19 de abril de 2018

Como emitir uma NF de remessa para feira ou exposição

Postado em 10 de abril de 2018

Nota Fiscal Complementar de ICMS: Como fazer?

Postado em 4 de abril de 2018

Quem deve entregar o SPED Fiscal: empresa ou contabilidade?

Postado em 16 de março de 2018

Como emitir uma nota fiscal de retorno de armazenagem

Postado em 1 de agosto de 2017

Como Emitir Nota Fiscal de Retorno de Mercadoria Vendida

Postado em 11 de julho de 2017

Como Emitir Nota Fiscal de Armazenagem – CFOP 5905

Postado em 3 de julho de 2017

O Guia Definitivo da NF-e 4.0: Saiba tudo sobre a mudança

Postado em 27 de junho de 2017

Guia de Gestão Financeira e Fiscal para Empresas

Postado em 12 de abril de 2016

Novas regras do ICMS: Entenda as mudanças

Postado em 26 de fevereiro de 2016

Emissão de NF-e: Tudo o que você precisa saber

Postado em 29 de janeiro de 2016

O que é a declaração de importação?

Postado em 26 de novembro de 2015

Nota Fiscal de Entrada de Importação: Planilha de Cálculo

Postado em 26 de outubro de 2015

Substituição Tributária: Planilha de Cálculo de ST para NF-e 4.0

Postado em 26 de outubro de 2015

FCI: saiba tudo sobre a Ficha de Conteúdo de Importação

Postado em 17 de setembro de 2015

Empresa de consultoria tributária: vale a pena contratar?

Postado em 25 de agosto de 2015

Cálculo do ICMS na importação: Devo incluir a Taxa da Marinha Mercante?

Postado em 20 de julho de 2015

COMENTÁRIOS

Existem 1 comente este post.

  • Parabéns pela explicação muito clara

    Cristiene Ferreira - 13 de julho de 2018 Responder

ADICIONE UM COMENTÁRIO