Você já conhece a tabela CFOP e sabe utilizá-la corretamente na gestão fiscal do seu negócio? Entre tantas exigências relacionadas a obrigações fiscais, muitos empreendedores enfrentam dificuldade para conhecer todos os termos e obrigações acessórias que devem ser observadas em meio às operações.

Consciente sobre a complexidade tributária existente no Brasil, o poder público criou diversos mecanismos para facilitar que todas as informações sejam divulgadas corretamente. Tudo isso com objetivo de permitir que a fiscalização seja executada de forma eficiente. Entre essas definições estão aquelas relacionadas à tabela CFOP.

Neste artigo veremos o que é a tabela CFOP e como você deve utilizá-la na gestão fiscal da sua empresa. Confira.

O que é a tabela CFOP?

CFOP é uma sigla para Código Fiscal de Operações e Prestações. Esse é o código utilizado para identificar a natureza de circulação de uma mercadoria ou a prestação de serviço de transportes. Ou seja, o CFOP indica se será necessário recolher impostos (ICMS e/ou IPI) sobre a mercadoria e como deve ser feito esse recolhimento.

A tabela CFOP está prevista no Convênio Sinief nº 15 de 1970:

Art. 5º O Código Fiscal de Operações e Prestações – CFOP e o Código de Situação Tributária – CST, constantes de anexos deste Convênio, serão interpretados de acordo com as Normas Explicativas, também apensas, e visam aglutinar em grupos homogêneos nos documentos e livros fiscais, nas guias de informação e em todas as análises de dados, as operações e prestações realizadas pelos contribuintes do Imposto sobre Produtos Industrializados – IPI e do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação – ICMS.

Para não enfrentar problemas na gestão fiscal, o CFOP deve ser informado em todos os documentos fiscais da empresa em:

  • operações de entradas e saídas de mercadorias;
  • bens e aquisição de serviços – seja nas notas fiscais, livros fiscais, conhecimento de transporte, entre outros.

Muitos empreendedores tentam entender como consultar a tabela CFOP antes mesmo de conhecer o significado dos códigos. É importante compreender que cada um dos dígitos do código tem um significado específico, sendo que o primeiro deles indica o tipo da operação:

Entrada:

  • 1.000: Entrada e/ou aquisição de serviços do estado;
  • 2.000: Entrada e/ou aquisição de serviços de outros estados;
  • 3.000: Entrada e/ou aquisição de serviços do exterior.

Saída:

  • 5.000: Saídas ou prestações de serviços para o estado;
  • 6.000: Saídas ou prestações de serviços para outros estados;
  • 7.000: Saídas ou prestações de serviços para o exterior.

Principais aplicações da tabela CFOP

A função principal da tabela CFOP é garantir a transparência das operações realizadas pelas empresas para o Fisco. Isso facilita a fiscalização e a cobrança adequada dos tributos devidos. Em vez de ter que analisar individualmente as operações das empresas, basta acompanhar de acordo com o código utilizado.

Entretanto, o CFOP também pode ser explorado para otimizar a gestão fiscal da sua empresa – sendo incorporado nos controles internos para facilitar o entendimento das informações. Além disso, esses mesmos códigos podem ser utilizados de forma gerencial nos controles de estoques e gestão de pedidos.

Como consultar a tabela CFOP?

Existem mais de 555 CFOP no Brasil, portanto é muito comum que os empreendedores busquem compreender melhor como consultar a tabela CFOP. Com o uso da tecnologia essa pesquisa se tornou mais prática, já que a consulta pode ser realizada através do portal do Ministério da Fazenda – que disponibiliza a lista completa com todos os códigos.

Outra forma de facilitar o uso correto dos códigos nas rotinas fiscais da sua empresa é utilizar um sistema de gestão que automatiza as operações com notas fiscais eletrônicas e faz a integração com as rotinas executadas pelo contador.

Você já sabia como consultar a tabela CFOP e conhecia as informações que vimos ao longo deste artigo? Deixe o seu comentário!

OUTROS POSTS

Venda por operação triangular: o que é?

Postado em 13 de julho de 2018

NF-e de Transferência para Filial: Como emitir?

Postado em 5 de julho de 2018

Por que não usar planilhas para gerenciar dados da empresa?

Postado em 28 de junho de 2018

6 perguntas frequentes sobre a ECD

Postado em 21 de junho de 2018

O que muda com a NF-e 4.0?

Postado em 19 de junho de 2018

Tudo o que você precisa saber sobre o bloco K do SPED Fiscal

Postado em 8 de junho de 2018

4 passos para reduzir a inadimplência no meu comércio

Postado em 4 de junho de 2018

O que é manifestação do destinatário?

Postado em 29 de maio de 2018

O que fazer quando você perde suas notas fiscais?

Postado em 25 de maio de 2018

O que é e como funciona o SPED Fiscal?

Postado em 18 de maio de 2018

Determinando contabilmente o preço de um produto

Postado em 17 de maio de 2018

Novidade no Sistema: Módulo de Planos de Contas

Postado em 15 de maio de 2018

Cancelamento de nota fiscal após 24 horas

Postado em 4 de maio de 2018

Tudo o que você precisa saber sobre Microempreendedor Individual (MEI)

Postado em 27 de abril de 2018

Como emitir NF-e não contribuinte

Postado em 25 de abril de 2018

Como emitir uma NF-e com DIFAL

Postado em 20 de abril de 2018

Como emitir NF-e com Substituição Tributária

Postado em 19 de abril de 2018

5 dicas fundamentais para encantar e reter clientes

Postado em 12 de abril de 2018

Como emitir uma NF de remessa para feira ou exposição

Postado em 10 de abril de 2018

Como criar uma NF-e de Complemento de ICMS

Postado em 4 de abril de 2018

Guia Certificado Digital ICP-Brasil

Postado em 26 de março de 2018

Quem deve entregar o SPED Fiscal: empresa ou contabilidade?

Postado em 16 de março de 2018

Pis e Cofins na importação: como recuperar impostos

Postado em 8 de março de 2018

Por que é vital a correta classificação fiscal da importação

Postado em 1 de março de 2018

Retrospectiva de 2017

Postado em 3 de janeiro de 2018

Case de Sucesso Comex NF-e: H3 Trading

Postado em 16 de novembro de 2017

Tributação na Importação: Redução no Paraná e Santa Catarina

Postado em 1 de novembro de 2017

Para que serve a licença de importação?

Postado em 19 de outubro de 2017

Fim do emissor gratuito da Sefaz Maranhão

Postado em 13 de outubro de 2017

Fim dos boletos sem registro: mais segurança nas transações

Postado em 4 de outubro de 2017

A morte dos ERPs completos

Postado em 20 de setembro de 2017

Como reduzir custos de empresas de Comex

Postado em 14 de setembro de 2017

3 coisas que aprendi que vão mudar sua empresa

Postado em 31 de agosto de 2017

Redução no imposto de importação para 4,9 mil produtos

Postado em 18 de agosto de 2017

A Mainô agora faz parte do Hub do Empreendedor!

Postado em 7 de agosto de 2017

Como emitir uma nota fiscal de retorno de armazenagem

Postado em 1 de agosto de 2017

Planejamento de Estoque: Inimigo ou Aliado?

Postado em 24 de julho de 2017

Como Emitir Nota Fiscal de Retorno de Mercadoria Vendida

Postado em 11 de julho de 2017

Como Emitir Nota Fiscal de Armazenagem

Postado em 3 de julho de 2017

O Guia Definitivo da NF-e 4.0: Saiba tudo sobre a mudança

Postado em 27 de junho de 2017

Pis e Cofins na Importação: Como Recuperar Impostos

Postado em 18 de maio de 2017

Como calcular uma NF-e de Importação como seu despachante

Postado em 29 de agosto de 2016

O Retorno do Investimento da adoção de ERPs Cloud para PME

Postado em 14 de julho de 2016

Software de gestão: por que sua empresa deve ter um

Postado em 16 de maio de 2016

Os 5 maiores mitos sobre tecnologia na nuvem

Postado em 29 de abril de 2016

Como reduzir custos na empresa de forma profissional

Postado em 14 de abril de 2016

Como uma empresa de importação reduziu 97% do desperdício

Postado em 14 de abril de 2016

Guia de Gestão Financeira e Fiscal para Empresas

Postado em 12 de abril de 2016

7 dicas infalíveis para ter uma empresa de sucesso

Postado em 1 de março de 2016

Novas regras do ICMS: Entenda as mudanças

Postado em 26 de fevereiro de 2016

Emissão de NF-e: Tudo o que você precisa saber

Postado em 29 de janeiro de 2016

5 vantagens de utilizar um software na nuvem

Postado em 21 de janeiro de 2016

O que é a declaração de importação?

Postado em 26 de novembro de 2015

Nota Fiscal de Entrada de Importação: Planilha de Cálculo

Postado em 26 de outubro de 2015

Planilha de Cálculo de Substituição Tributária

Postado em 26 de outubro de 2015

Planilha de controle de estoque: video explicativo

Postado em 6 de outubro de 2015

FCI: saiba tudo sobre a Ficha de Conteúdo de Importação

Postado em 17 de setembro de 2015

Como Recuperar os Impostos da Sua Empresa ?

Postado em 25 de agosto de 2015

Empresa de consultoria tributária: vale a pena contratar?

Postado em 25 de agosto de 2015

Cálculo do ICMS na importação: Devo incluir a Taxa da Marinha Mercante?

Postado em 20 de julho de 2015

COMENTÁRIOS

Existem 0 comente este post.

ADICIONE UM COMENTÁRIO