Você sabe o que é NCM? Apesar de muitos empresários desconhecerem esse termo, trata-se de uma informação essencial que deve constar na nota fiscal. O conhecimento sobre o funcionamento da Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM)  garante que você atenda as exigências legais relativas à classificação fiscal dos produtos comercializados pela sua empresa.

Uma nota fiscal contém muitas informações importantes para o cliente, para a sua empresa e para o poder público. Entre elas, estão os códigos numéricos que acompanham cada um dos produtos comercializados. Esses códigos são chamados de NCM.

Neste artigo veremos o que é NCM e como você deve usar essa codificação no cadastro de produtos da sua empresa. Confira.

O que é NCM?

Cada operação de venda realizada por uma empresa gera diversas implicações fiscais, certo? O poder público tem a responsabilidade de fiscalizar todas essas operações e se certificar de que todos os tributos foram recolhidos adequadamente. 

Entretanto, seria muito difícil fazer uma fiscalização eficiente analisando produto por produto, principalmente porque cada empresa poderia se referir aos seus produtos de uma forma diferente na nota fiscal. Foi para facilitar todo esse processo que surgiu a Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM).

Para entender o que é NCM basta compreender que cada um dos produtos comercializados pelas empresas brasileiras possui um código de identificação. A Nomenclatura Comum ao Mercosul foi criada em 1991 por alguns países da América do Sul com base em outro código internacional chamado SH (Sistema Harmonizado de Designação e de Codificação de Mercadorias).

O objetivo da NCM é padronizar a classificação de todas as mercadorias que circulam entre esses países. Além de facilitar a classificação fiscal, o código também promove a unificação no mercado internacional e facilita as operações com o exterior.

Como funciona a codificação?

O funcionamento da NCM é muito simples de ser entendido. Os códigos de classificação das mercadorias são compostos por 8 números, sendo que os 6 primeiros deles foram importados do sistema SH e os 2 últimos dígitos atendem necessidades do Mercosul.

A NCM segue a seguinte estrutura:

0000.00.00

  • Dois primeiros dígitos do SH: capítulo – informa as características de cada produto.
  • Terceiro e quarto dígitos do SH: posição – representam o desdobramento da característica da mercadoria.
  • Quinto e sexto dígitos do SH: subposição – aprofundam ainda mais a característica da mercadoria.
  • Sétimo dígito da NCM: item – faz a classificação do produto.
  • Oitavo dígito da NCM: subitem –  é a classificação e descrição mais completa da mercadoria.Estrutura da NCM

A importância do NCM 

A NCM também é fundamental para a classificação fiscal correta de todas as mercadorias e para a fiscalização feita pelo Fisco. Com a padronização dos códigos dos produtos informados na nota fiscal, a empresa e o poder público conseguem se entender facilmente.

Por essa razão, a NCM merece uma grande atenção das empresas brasileiras para evitar as penalidades decorrentes do seu uso incorreto que podem incluir: problemas com o recolhimento de tributos, retenção de mercadorias na alfândega, devolução da mercadoria ao país de origem, perda de benefícios fiscais e multas pesadas.

Você já sabia sobre o que é NCM? Ficou com alguma dúvida sobre o assunto? Deixe o seu comentário!

OUTROS POSTS

Planejamento tributário para 2019: 5 dicas de como fazê-lo

Postado em 10 de janeiro de 2019

DeSTDA: tudo o que você precisa saber sobre essa obrigação

Postado em 13 de dezembro de 2018

DIFAL: o que é e como calcular?

Postado em 12 de dezembro de 2018

NFe denegada: o que é e como resolver?

Postado em 27 de novembro de 2018

Qual a diferença entre Contribuinte, Contribuinte Isento e Não Contribuinte de ICMS?

Postado em 21 de novembro de 2018

SPED Fiscal: Versão 3.0 do Guia Prático

Postado em 8 de outubro de 2018

Regime Tributário: Qual escolher?

Postado em 2 de outubro de 2018

O que é Substituição Tributária?

Postado em 20 de setembro de 2018

O que é CEST?

Postado em 18 de setembro de 2018

O que é SPED Contribuições?

Postado em 14 de setembro de 2018

NCM para autopeças: Os riscos de uma classificação errada

Postado em 16 de agosto de 2018

Venda por operação triangular: o que é?

Postado em 13 de julho de 2018

Tabela CFOP: o que é e para que ela serve?

Postado em 10 de julho de 2018

NF-e de Transferência para Filial: Como emitir?

Postado em 5 de julho de 2018

6 perguntas frequentes sobre a ECD

Postado em 21 de junho de 2018

O que muda com a NF-e 4.0?

Postado em 19 de junho de 2018

Tudo o que você precisa saber sobre o bloco K do SPED Fiscal

Postado em 8 de junho de 2018

O que é manifestação do destinatário?

Postado em 29 de maio de 2018

O que fazer quando você perde suas notas fiscais?

Postado em 25 de maio de 2018

O que é e como funciona o SPED Fiscal?

Postado em 18 de maio de 2018

Cancelamento de nota fiscal após 24 horas

Postado em 4 de maio de 2018

Como emitir NF-e não contribuinte

Postado em 25 de abril de 2018

Como emitir uma NF-e com DIFAL

Postado em 20 de abril de 2018

Como emitir NF-e com Substituição Tributária

Postado em 19 de abril de 2018

Como emitir uma NF de remessa para feira ou exposição

Postado em 10 de abril de 2018

Nota Fiscal Complementar de ICMS: Como fazer?

Postado em 4 de abril de 2018

Quem deve entregar o SPED Fiscal: empresa ou contabilidade?

Postado em 16 de março de 2018

Como emitir uma nota fiscal de retorno de armazenagem

Postado em 1 de agosto de 2017

Como Emitir Nota Fiscal de Retorno de Mercadoria Vendida

Postado em 11 de julho de 2017

Como Emitir Nota Fiscal de Armazenagem – CFOP 5905

Postado em 3 de julho de 2017

O Guia Definitivo da NF-e 4.0: Saiba tudo sobre a mudança

Postado em 27 de junho de 2017

Guia de Gestão Financeira e Fiscal para Empresas

Postado em 12 de abril de 2016

Novas regras do ICMS: Entenda as mudanças

Postado em 26 de fevereiro de 2016

Emissão de NF-e: Tudo o que você precisa saber

Postado em 29 de janeiro de 2016

O que é a declaração de importação?

Postado em 26 de novembro de 2015

Nota Fiscal de Entrada de Importação: Planilha de Cálculo

Postado em 26 de outubro de 2015

Substituição Tributária: Planilha de Cálculo de ST para NF-e 4.0

Postado em 26 de outubro de 2015

FCI: saiba tudo sobre a Ficha de Conteúdo de Importação

Postado em 17 de setembro de 2015

Empresa de consultoria tributária: vale a pena contratar?

Postado em 25 de agosto de 2015

Cálculo do ICMS na importação: Devo incluir a Taxa da Marinha Mercante?

Postado em 20 de julho de 2015

COMENTÁRIOS

Existem 0 comente este post.

ADICIONE UM COMENTÁRIO