Sabe-se que a terceirização de determinados serviços é uma tendência de mercado. Por meio dela, as empresas podem focar em sua atividade-fim, terceirizando outras que ficam em um segundo plano. Nesse mesmo contexto, segue o processo de importação. Seja para se dedicar a atividade fim, ou para buscar benefícios fiscais, muitas empresas optam por terceirizar o processo de importação. E uma das formas legalmente reconhecidas desse tipo de terceirização é a importação por conta e ordem.

A seguir, vamos falar mais sobre o assunto e esclarecer dúvidas comuns sobre importação por conta e ordem. Confira agora!

Afinal, o que é a importação por conta e ordem?

Como dissemos, a importação por conta e ordem é um procedimento legal e devidamente reconhecido pela Receita Federal para a terceirização dos serviços de importação. Quando uma empresa precisa realizar uma importação, ela contrata uma terceira, que nesse caso é a importadora por conta e ordem, para que ela providencie o despacho da mercadoria em nome da empresa que está adquirindo os produtos.

>> Saiba mais: 4 perguntas frequentes sobre nota fiscal de importação <<

Quais são os principais requisitos, condições e obrigações tributárias acessórias?

A importação por conta e ordem é um meio legal de terceirizar os serviços de importação. No entanto, para que ela seja realizada dentro da regularidade, é necessário observar as seguintes questões:

  • Tanto a empresa contratante, quanto a prestadora de serviço devem estar devidamente cadastradas e habilitadas para operar no SISCOMEX — Sistema Integrado de Comércio Exterior;
  • A empresa contratante deve apresentar à RFB uma cópia do contrato de serviços de importação, firmado entre as duas empresas, para que assim a importadora por conta e ordem seja vinculada ao SISCOMEX;
  • Ao elaborar a Declaração de Importação, a importadora por conta e ordem deve informar no campo “Caracterização da Importação”, da aba “Importador”, que o tipo de importação é a “Importação por Conta e Ordem”;
  • Na mesma aba, no campo “Adquirente de Mercadoria”, deve-se informar o número do CNPJ da empresa adquirente;
  • A informação constante no conhecimento de carga, para que a importadora por conta e ordem consiga realizar o despacho aduaneiro e a retirada da mercadoria na alfândega, deve estar como “consignado ou endossado ao importador contratado”;
  • O adquirente da mercadoria deve ser devidamente identificado na fatura comercial, refletindo assim a transação realizada com o vendedor.

Em quais condições a importação por conta e ordem é utilizada?

Normalmente a importação por conta e ordem é adotada quando a empresa decide focar seus recursos em sua atividade-fim. Além disso, a empresa prestadora do serviço geralmente já possui conhecimento e colaboradores qualificados no trate do despacho aduaneiro. A importação por conta e ordem também pode ser utilizada por empresas que buscam uma tributação mais em conta. Geralmente as empresas que prestam esse serviço se localizam em estados onde há benefício fiscal na importação.

Por ser um procedimento reconhecido pela Receita Federal, muitas empresas podem usar a importação por conta e ordem para realizar os procedimentos relacionados à importação, terceirizando o serviço e garantindo que o processo burocrático seja feito da forma mais adequada.

Outro desenho relativamente comum é a abertura de uma filial em locais de benefício fiscal. Dessa forma, a matriz contrata a filial para realizar a importação por conta e ordem. O objetivo dessa engenharia tributária é reduzir a tributação. Tudo, obviamente, dentro da lei.

Você já conhecia a importação por conta e ordem? Então que tal aproveitar para saber um pouco mais sobre a Substituição Tributária na Importação? Confira!

OUTROS POSTS

DUIMP: tudo sobre a Declaração Única de Importação

Postado em 6 de dezembro de 2018

Multas na importação: Como evitá-las?

Postado em 1 de novembro de 2018

Importação de autopeças: Tudo que você precisa saber

Postado em 27 de junho de 2018

Importação de vinho: como calcular o preço de venda

Postado em 14 de junho de 2018

Gastos com capatazia excluídos da base de cálculo do II

Postado em 5 de abril de 2018

Nota fiscal de Importação: 4 perguntas frequentes

Postado em 25 de janeiro de 2018

Importação de produtos: Os 5 erros cometidos por brasileiros

Postado em 10 de janeiro de 2018

Importação marítima x importação aérea: qual a mais vantajosa?

Postado em 9 de janeiro de 2018

ICMS de produtos importados para revenda: Suspenso em São Paulo

Postado em 30 de novembro de 2017

Como importar pela primeira vez

Postado em 19 de junho de 2017

Podcast Semanal – Episódio 1

Postado em 9 de novembro de 2016

As 3 Vantagens de usar o ComexNF-e para o Importador

Postado em 7 de novembro de 2016

Série de Importação: O valor aduaneiro

Postado em 8 de junho de 2016

Série de importação: Órgãos internacionais

Postado em 24 de maio de 2016

Série de Importação: Modelos de importação

Postado em 11 de maio de 2016

Série de Importação: O despacho aduaneiro

Postado em 11 de maio de 2016

Impostos de importação: veja quais são e saiba como calcular

Postado em 21 de janeiro de 2016

Guia de Importação Para Empresas

Postado em 18 de dezembro de 2015

Software de gestão para importação: Veja as 5 Vantagens

Postado em 17 de dezembro de 2015

O que é a declaração de importação?

Postado em 26 de novembro de 2015

Como Contratar Um Bom Despachante Aduaneiro

Postado em 12 de novembro de 2015

Como emitir a declaração simplificada de importação?

Postado em 5 de novembro de 2015

NF-e de importação: Aprenda como fazer

Postado em 4 de novembro de 2015

Benefícios do cloud computing para a sua importadora

Postado em 9 de outubro de 2015

Como um software de gestão pode ajudar sua importadora

Postado em 24 de setembro de 2015

Despachante aduaneiro: O que é e o que faz

Postado em 22 de setembro de 2015

FCI: saiba tudo sobre a Ficha de Conteúdo de Importação

Postado em 17 de setembro de 2015

Precificação de Produtos Importados: 3 itens a considerar

Postado em 11 de setembro de 2015

Saiba mais sobre a substituição tributária na importação

Postado em 7 de agosto de 2015

Cálculo do ICMS na importação: Devo incluir a Taxa da Marinha Mercante?

Postado em 20 de julho de 2015

Devolução de mercadoria importada: é possível?

Postado em 20 de julho de 2015

5 dicas para evitar custos extras com armazenagem numa importação

Postado em 20 de maio de 2015

Bloco K: o que é e como se adequar

Postado em 19 de maio de 2015

COMENTÁRIOS

Existem 2 comente este post.

  • Boa noite. Gostaria de enviar o CV do meu namorado para esta empresa. Ele é Analista de Sistemas. Ele é muito inteligente e precisa trabalhar. Estou ajudando-o a se recolocar no mercado de trabalho. Como posso fazer?
    Obrigada,
    Carla.

    Carla - 1 de dezembro de 2015 Responder

ADICIONE UM COMENTÁRIO