Você conhece, verdadeiramente, qual é o custo do produto vendido pela sua empresa? O custo do produto ou de um serviço tem impacto direto nas finanças da empresa, no balanço contábil e nos registros fiscais.  O custo da produção também é responsável diretamente pela  formação do preço de venda – conhecer esse valor é fundamental para tornar uma empresa competitiva. 

A ficha técnica é a melhor maneira de conhecer todos os componentes de um produto, o custo de cada um desses componentes e permite determinar o custo total do produto final. Além disso, a ficha técnica permite a padronização dos produtos de uma empresa, uma vez que especifica a quantidade de matéria-prima usada em cada processo. Importante, não é mesmo?

Veja neste artigo como montar a ficha técnica de cada produto da sua empresa.

O que é uma ficha técnica e como usá-la para calcular o custo do produto?

A ficha técnica é um memorial descritivo que detalha os custos relacionados à matéria-prima usada para a fabricação de um produto. Para montar esse cálculo, no entanto, é importante conhecer o conceito de CPV.

Custo dos Produtos Vendidos (CPV) – o que é?

A gestão de custos implica o conhecimento de dois conceitos: Custo das Mercadorias Vendidas (CMV) e o Custo dos Produtos Vendidos (CPV). Mercadoria e produto são conceitos diferentes. Mercadoria é um produto vendido em um local, mas produzido em outro. Já produto é aquele produzido e vendido no mesmo local.

A ficha técnica é utilizada para encontrar o CPV, que realiza um cálculo gerencial para medir os custos diretos incorridos na produção dos produtos vendidos durante um período. Em outras palavras, esse índice reflete a quantidade de dinheiro que a empresa gastou em mão de obra, materiais e despesas gerais para fabricar produtos que foram vendidos aos clientes durante todo o ano.

Custo do produto – quais os componentes ligados à produção?

Montar a ficha técnica de um produto envolve o conhecimento de todos os custos ligados a produção. Os custos podem ser definidos como os gastos ligados diretamente à produção.

Por exemplo, em uma indústria têxtil a matéria-prima é o algodão usado na produção de camisas e os insumos ligados à produção são a máquina de tecer, a água que lava o tecido e os demais elementos usados para a fabricação.

Já as despesas são os gastos não ligados a produção como a publicidade e os serviços de contabilidade da empresa. Embora as despesas estejam diretamente ligadas ao orçamento de uma empresa, a ficha técnica deve especificar somente os custos ligados à produção.

Custo do produto – como montar uma ficha técnica?

Como dito acima, para produtos o CPV é composto pelo custo das matérias-primas que constituem fisicamente o item. O custo das mercadorias não inclui despesas indiretas, como serviços públicos, materiais de escritório ou itens não associados à produção de um bem específico.

Para montar uma ficha técnica é preciso listar todos os componentes de cada item produzido pela sua empresa. Suponhamos que para produzir uma saia é utilizado 2 metros de tecido de algodão, 6 botões e 1 elástico. A ficha deve listar cada componente do produto e a quantidade utilizada para fabricar uma unidade:

MaterialQuantidade
Tecido (em metros)2
Botões6
Elástico (em metros)1

Em seguida, é preciso estabelecer o preço de cada um dos componentes do produto:

MaterialQuantidadeValor unitário
Tecido (em metros)2R$ 10
Botões6R$ 1
Elástico (em metros)1R$ 2

O próximo passo é multiplicar a quantidade de matéria-prima pelo valor unitário, o resultado será o CPV unitário:

MaterialQuantidadeValor unitárioCPV unitário
Tecido (em metros)2R$ 10R$ 20
Botões6R$ 1R$ 6
Elástico (em metros)1R$ 2R$ 2
CPV unitárioR$ 28

O CPV total é obtido pela multiplicação do CPV unitário pelo total de produtos vendidos em um determinado período. Cada produto de uma empresa deve possuir uma ficha técnica diferente que contemple todos os componentes utilizados no seu processo de fabricação.

Também é preciso definir corretamente o valor de cada item, de modo a obter um resultado preciso do CPV. É importante lembrar que o CPV diz repeito somente aos produtos vendidos. Dessa forma, o CPV não considera os custos dos produtos que permanecem no estoque da empresa.

A ficha técnica é particularmente importante para uma empresa porque permite calcular o custo das mercadorias vendidas, a margem bruta do negócio e analisar qual porcentagem das receitas está disponível para cobrir as despesas operacionais.

Como a sua empresa calcula o custo do produto? Compartilhe essa informação conosco nos comentários!

OUTROS POSTS

Como utilizar a curva ABC na prática em seu comércio

Postado em 16 de outubro de 2018

4 dicas para um bom planejamento e controle de produção

Postado em 11 de outubro de 2018

O jeito Disney de encantar os clientes aplicado a seu negócio

Postado em 13 de setembro de 2018

O que os empreendedores de sucesso tem em comum?

Postado em 6 de setembro de 2018

Como escolher um software de gestão para auto peças

Postado em 23 de agosto de 2018

Tabela CFOP: o que é e para que ela serve?

Postado em 10 de julho de 2018

Por que não usar planilhas para gerenciar dados da empresa?

Postado em 28 de junho de 2018

4 passos para reduzir a inadimplência no meu comércio

Postado em 4 de junho de 2018

Determinando contabilmente o preço de um produto

Postado em 17 de maio de 2018

Novidade no Sistema: Módulo de Planos de Contas

Postado em 15 de maio de 2018

Tudo o que você precisa saber sobre Microempreendedor Individual (MEI)

Postado em 27 de abril de 2018

5 dicas fundamentais para encantar e reter clientes

Postado em 12 de abril de 2018

Guia Certificado Digital ICP-Brasil

Postado em 26 de março de 2018

Pis e Cofins na importação: como recuperar impostos

Postado em 8 de março de 2018

Por que é vital a correta classificação fiscal da importação

Postado em 1 de março de 2018

Retrospectiva de 2017

Postado em 3 de janeiro de 2018

Case de Sucesso Comex NF-e: H3 Trading

Postado em 16 de novembro de 2017

Tributação na Importação: Redução no Paraná e Santa Catarina

Postado em 1 de novembro de 2017

Para que serve a licença de importação?

Postado em 19 de outubro de 2017

Fim do emissor gratuito da Sefaz Maranhão

Postado em 13 de outubro de 2017

Fim dos boletos sem registro: mais segurança nas transações

Postado em 4 de outubro de 2017

A morte dos ERPs completos

Postado em 20 de setembro de 2017

Como reduzir custos de empresas de Comex

Postado em 14 de setembro de 2017

3 coisas que aprendi que vão mudar sua empresa

Postado em 31 de agosto de 2017

Redução no imposto de importação para 4,9 mil produtos

Postado em 18 de agosto de 2017

A Mainô agora faz parte do Hub do Empreendedor!

Postado em 7 de agosto de 2017

Planejamento de Estoque: Inimigo ou Aliado?

Postado em 24 de julho de 2017

Como Emitir Nota Fiscal de Armazenagem – CFOP 5905

Postado em 3 de julho de 2017

Pis e Cofins na Importação: Como Recuperar Impostos

Postado em 18 de maio de 2017

NF-e de Importação: como calcular igual seu despachante?

Postado em 29 de agosto de 2016

O Retorno do Investimento da adoção de ERPs Cloud para PME

Postado em 14 de julho de 2016

Software de gestão: por que sua empresa deve ter um

Postado em 16 de maio de 2016

Os 5 maiores mitos sobre tecnologia na nuvem

Postado em 29 de abril de 2016

Como reduzir custos na empresa de forma profissional

Postado em 14 de abril de 2016

Como uma empresa de importação reduziu 97% do desperdício

Postado em 14 de abril de 2016

Guia de Gestão Financeira e Fiscal para Empresas

Postado em 12 de abril de 2016

7 dicas infalíveis para ter uma empresa de sucesso

Postado em 1 de março de 2016

5 vantagens de utilizar um software na nuvem

Postado em 21 de janeiro de 2016

Planilha de controle de estoque: video explicativo

Postado em 6 de outubro de 2015

Como Recuperar os Impostos da Sua Empresa ?

Postado em 25 de agosto de 2015

COMENTÁRIOS

Existem 0 comente este post.

ADICIONE UM COMENTÁRIO