Quer saber como importar? Para importar, uma empresa precisa elaborar um plano de negócios consistente e estar preparada para investir um dinheiro considerável na compra das mercadorias que deseja revender. Além disso, deve buscar fornecedores aliados com a sua estratégia de negócios. Complicado? Nem tanto.

Para te ajudar nessa empreitada, preparamos algumas dicas de como importar. Acompanhe!

O que é preciso para começar a importar?

Para começar a importar é preciso possuir uma empresa legalmente constituída, seja como microempresa, pequena empresa ou MEI – Microempreendedor Individual. Também é preciso elaborar um plano de negócios que determine, exatamente, o valor que a empresa precisará destinar a compra dos produtos que pretende revender.

O plano de negócios deve incluir o valor dos produtos importados, os custos fixos da empresa, que incluem o pagamento dos funcionários e o valor do aluguel, e os custos variáveis, que incluem o pagamento das contas de água e de energia, por exemplo.

Uma importadora também precisa buscar fornecedores capazes de disponibilizar rapidamente os produtos que deseja revender. Além disso, precisará fazer uma cotação dos produtos que serão importados, o que permitirá saber o quanto precisará investir.

Existe um valor exato para começar a importar?

Não existe um valor mínimo necessário para que uma empresa comece a importar. Na verdade, o valor destinado a importação varia de acordo com o produto importado, com a quantidade e com tipo de importação.

A maioria das importações brasileiras gira em torno de 20 mil dólares, mas alguns produtos exigem um investimento menor, em torno de 10 mil dólares. No entanto, abaixo desse valor, o processo de importação pode se tornar inviável.

Não existe uma quantidade mínima pra importar, é possível importar um contêiner inteiro ou usar o mesmo contêiner para dividir mercadorias de diferentes fornecedores. Também é possível consolidar a carga, processo que permite que pedidos de diferentes empresas dividam o mesmo contêiner.

Como importar? Dicas para quem quer começar

  • Para importar a sua empresa precisa ter algum dinheiro disponível em caixa. Caso o seu negócio tenha pouco dinheiro para investir, comece revendendo mercadorias nacionais e, após ganhar estabilidade e juntar algum dinheiro, comece a importar.
  • Monte um Plano de Negócios, em sua forma mais simples, um plano de negócios é um guia, um roteiro que descreve os objetivos de negócios da sua empresa e detalha como atingir essas metas.
  • Caso a sua empresa não possua dinheiro para investir, que tal buscar um sócio investidor? Um plano de negócios bem estruturado é capaz de atrair o interesse de alguém que acredite na sua empresa e deseje colocar dinheiro no seu negócio.
  • Tenha o RADAR, um despachante aduaneiro experiente e uma contabilidade especializada.
  • Estudar se é melhor fazer importação direta (onde você cuida de todo o processo junto ao despachante aduaneiro) ou se é melhor importar por Trading (que cuida de todo o processo para você e cobra por isso). O importante é ter esse comparativo, pois isso pode evitar milhares de reais em multas por erros no decorrer da importação e inclusive na negociação com o fornecedor, já que importando por Trading, ela mesma cuida disso.

Erros comuns que a sua empresa não pode cometer

Muitas empresas importadoras cometem erros comuns ao importar produtos para revender, como:

  • Achar que é fácil importar. Na verdade o processo de importação é burocrático, com inúmeras regras e leis a serem seguidas. Por isso é fundamental planejar a importação com antecedência.
  • Não simular os custos. Produtos importados podem custar bem mais barato que os similares nacionais, no entanto, o processo de importação inclui outros custos além do preço dos produtos, o que torna necessário que a sua empresa simule os gastos que terá no processo de importação, para não ficar no prejuízo.
  • Não buscar suporte profissional. Para se informar melhor sobre como importar uma empresa deve buscar a orientação de profissionais especializados, uma vez que esse processo é muito complexo. Um profissional experiente tirará todas as suas dúvidas e fornecerá informações preciosas sobre o processo de importação.

Quer saber mais detalhes sobre como importar? Continue lendo o nosso blog!

OUTROS POSTS

DUIMP: Saiba tudo sobre essa nova obrigação acessória

Postado em 6 de fevereiro de 2019

DUIMP: tudo sobre a Declaração Única de Importação

Postado em 6 de dezembro de 2018

Multas na importação: Como evitá-las?

Postado em 1 de novembro de 2018

Importação de autopeças: Tudo que você precisa saber

Postado em 27 de junho de 2018

Importação de vinho: como calcular o preço de venda

Postado em 14 de junho de 2018

Gastos com capatazia excluídos da base de cálculo do II

Postado em 5 de abril de 2018

Nota fiscal de Importação: 4 perguntas frequentes

Postado em 25 de janeiro de 2018

Importação de produtos: Os 5 erros cometidos por brasileiros

Postado em 10 de janeiro de 2018

Importação marítima x importação aérea: qual a mais vantajosa?

Postado em 9 de janeiro de 2018

Como importar pela primeira vez

Postado em 19 de junho de 2017

Podcast Semanal – Episódio 1

Postado em 9 de novembro de 2016

As 3 Vantagens de usar o ComexNF-e para o Importador

Postado em 7 de novembro de 2016

Série de Importação: O valor aduaneiro

Postado em 8 de junho de 2016

Série de importação: Órgãos internacionais

Postado em 24 de maio de 2016

Série de Importação: Modelos de importação

Postado em 11 de maio de 2016

Série de Importação: O despacho aduaneiro

Postado em 11 de maio de 2016

Impostos de importação: veja quais são e saiba como calcular

Postado em 21 de janeiro de 2016

Guia de Importação Para Empresas

Postado em 18 de dezembro de 2015

Software de gestão para importação: Veja as 5 Vantagens

Postado em 17 de dezembro de 2015

Importação por Conta e Ordem: Veja Como Funciona

Postado em 1 de dezembro de 2015

O que é a declaração de importação?

Postado em 26 de novembro de 2015

Como Contratar Um Bom Despachante Aduaneiro

Postado em 12 de novembro de 2015

Como emitir a declaração simplificada de importação?

Postado em 5 de novembro de 2015

NF-e de importação: Aprenda como fazer

Postado em 4 de novembro de 2015

Benefícios do cloud computing para a sua importadora

Postado em 9 de outubro de 2015

Como um software de gestão pode ajudar sua importadora

Postado em 24 de setembro de 2015

Despachante aduaneiro: O que é e o que faz

Postado em 22 de setembro de 2015

FCI: saiba tudo sobre a Ficha de Conteúdo de Importação

Postado em 17 de setembro de 2015

Precificação de Produtos Importados: 3 itens a considerar

Postado em 11 de setembro de 2015

Saiba mais sobre a substituição tributária na importação

Postado em 7 de agosto de 2015

Cálculo do ICMS na importação: Devo incluir a Taxa da Marinha Mercante?

Postado em 20 de julho de 2015

Devolução de mercadoria importada: é possível?

Postado em 20 de julho de 2015

5 dicas para evitar custos extras com armazenagem numa importação

Postado em 20 de maio de 2015

Bloco K: o que é e como se adequar

Postado em 19 de maio de 2015

COMENTÁRIOS

Existem 2 comente este post.

  • Ok, muito obrigada pelas informaçoes, foram de grande valia.

    Selma Stoupa - 22 de janeiro de 2019 Responder
    • Obrigado pelo comentário Selma!

      Eduardo Ferreira - 22 de janeiro de 2019 Responder

ADICIONE UM COMENTÁRIO