O despachante aduaneiro é o profissional responsável por intermediar as questões legais, como documentos dos órgãos federais e outros procedimentos, para que as importações realizadas por empresas e pessoas físicas transcorram sem dores de cabeça em relação à legislação, o que pode inclusive inviabilizar a prática. Mais saiba que hoje em dia esse profissional é mais do que apenas um prestador de serviços. Um bom despachante aduaneiro é aquele que compreende as questões específicas de toda a cadeia logística, sabendo se adequar a cada tipo de perfil de importador, seja ele um grande empresário ou pessoa física que trabalhe com grandes volumes.

Nosso post de hoje traz outras informações e dicas para que as suas transações com clientes estrangeiros seja uma experiência bem-sucedida. Confira e saiba quais são as principais precauções a serem tomadas antes de fechar negócios com parceiros estrangeiros.

Feedback dos clientes

Em primeiro lugar, é muito importante saber quem são os clientes desse despachante aduaneiro, no sentido de obter junto a eles o máximo de informações possíveis a respeito dos serviços prestados e da eficiência deles. Saiba que procedimentos errados ao se importar produtos, principalmente em relação à classificação fiscal destes, podem acabar resultando em prejuízos para o importador, daí a necessidade de se trabalhar com alguém que possui boas referências e credibilidade no mercado.

Cadastro no Siscomex

Não menos importante do que obter referências do despachante aduaneiro junto aos clientes mais antigos, é verificar se este está devidamente regularizado junto ao Siscomex – Sistema Integrado de Comércio Exterior. São muitas as pessoas que se autointitulam despachantes, mas sem nenhum tipo de qualificação no Siscomex. A contratação de profissionais não habilitados para a prática de importação e exportação pode configurar atividade ilegal e dificultar as transações, causando prejuízo para o importador. Falando a grosso modo, é um barato que acaba saindo bem caro.

Praticidade dos serviços

Algo que facilita bastante e agiliza as transações de importação e exportação é a utilização de tecnologias e recursos disponíveis para este fim. Um destes que deve ser levado em consideração na hora de contratar um despachante aduaneiro é o uso do extrato da declaração de importação (DI), para gerar com facilidade a NF-e junto às empresas que realizarão o comércio. Esse procedimento dá muito mais agilidade e confiabilidade ao processo. E, como essa operação é possível somente aos despachantes que possuem autorização para tal –  assim como a devida certificação digital, esse é mais um motivo pelo qual se deve escolher profissionais com as devidas qualificações..

Conhecimento da legislação

Saiba que para a prática de importação e exportação no Brasil, existem vários aspectos legais a serem observados. Diante disso, é necessário verificar se o despachante aduaneiro tem o pleno conhecimento a respeito dos procedimentos corretos e das sanções que incidem sobre erros na execução dos processos. O trabalho realizado dentro das normas legais é uma prerrogativa dos profissionais mais experientes.

Bases de serviços

Um dos diferenciais que um bom despachante aduaneiro possui é o bom relacionamento em diferentes bases de recepção e saída de produtos. Diante disso, é importante saber quais foram os serviços realizados anteriormente, no intuito de afirmar a versatilidade e a credibilidade do prestador de serviços diante de uma variedade de locais e fornecedores. Imagine se os problemas começarem a aparecer logo na sua vez, e o início de suas práticas acabarem se tornando uma experiência ruim? É muito importante que você tome todas estas precauções.

Ainda tem dúvidas sobre a contratação de um despachante aduaneiro? Entre em contrato com a gente! E compreenda melhor as transações de importação acessando nosso post “Nota fiscal de entrada de importação: o que você precisa saber”.

OUTROS POSTS

DUIMP: tudo sobre a Declaração Única de Importação

Postado em 6 de dezembro de 2018

Multas na importação: Como evitá-las?

Postado em 1 de novembro de 2018

Importação de autopeças: Tudo que você precisa saber

Postado em 27 de junho de 2018

Importação de vinho: como calcular o preço de venda

Postado em 14 de junho de 2018

Gastos com capatazia excluídos da base de cálculo do II

Postado em 5 de abril de 2018

Nota fiscal de Importação: 4 perguntas frequentes

Postado em 25 de janeiro de 2018

Importação de produtos: Os 5 erros cometidos por brasileiros

Postado em 10 de janeiro de 2018

Importação marítima x importação aérea: qual a mais vantajosa?

Postado em 9 de janeiro de 2018

ICMS de produtos importados para revenda: Suspenso em São Paulo

Postado em 30 de novembro de 2017

Como importar pela primeira vez

Postado em 19 de junho de 2017

Podcast Semanal – Episódio 1

Postado em 9 de novembro de 2016

As 3 Vantagens de usar o ComexNF-e para o Importador

Postado em 7 de novembro de 2016

Série de Importação: O valor aduaneiro

Postado em 8 de junho de 2016

Série de importação: Órgãos internacionais

Postado em 24 de maio de 2016

Série de Importação: Modelos de importação

Postado em 11 de maio de 2016

Série de Importação: O despacho aduaneiro

Postado em 11 de maio de 2016

Impostos de importação: veja quais são e saiba como calcular

Postado em 21 de janeiro de 2016

Guia de Importação Para Empresas

Postado em 18 de dezembro de 2015

Software de gestão para importação: Veja as 5 Vantagens

Postado em 17 de dezembro de 2015

Importação por Conta e Ordem: Veja Como Funciona

Postado em 1 de dezembro de 2015

O que é a declaração de importação?

Postado em 26 de novembro de 2015

Como emitir a declaração simplificada de importação?

Postado em 5 de novembro de 2015

NF-e de importação: Aprenda como fazer

Postado em 4 de novembro de 2015

Benefícios do cloud computing para a sua importadora

Postado em 9 de outubro de 2015

Como um software de gestão pode ajudar sua importadora

Postado em 24 de setembro de 2015

Despachante aduaneiro: O que é e o que faz

Postado em 22 de setembro de 2015

FCI: saiba tudo sobre a Ficha de Conteúdo de Importação

Postado em 17 de setembro de 2015

Precificação de Produtos Importados: 3 itens a considerar

Postado em 11 de setembro de 2015

Saiba mais sobre a substituição tributária na importação

Postado em 7 de agosto de 2015

Cálculo do ICMS na importação: Devo incluir a Taxa da Marinha Mercante?

Postado em 20 de julho de 2015

Devolução de mercadoria importada: é possível?

Postado em 20 de julho de 2015

5 dicas para evitar custos extras com armazenagem numa importação

Postado em 20 de maio de 2015

Bloco K: o que é e como se adequar

Postado em 19 de maio de 2015

COMENTÁRIOS

Existem 0 comente este post.

ADICIONE UM COMENTÁRIO