O fluxo de informações em uma empresa é imprescindível para a tomada de decisão do gestor, pois, assim, o planejamento é capaz de incluir o máximo de variáveis e setores envolvidos na produção. O cloud computing para importadoras é uma ferramenta que tem como objetivo promover a integração de todos os dados gerados pela organização, buscando seu acesso rápido e global. Quer saber mais sobre esse assunto? Confira nosso artigo:

Cloud computing para importadoras como ferramenta imprescindível

O cloud computing é uma ferramenta com inúmeras utilidades para empresas de todos os setores. Principamente, é crucial para aquelas que precisam de atualização constante das informações, como importadoras. Nesse ramo, onde unidades podem estar a quilômetros de distância e funcionários e gestores falam línguas diferentes, esse sistema tem como principal finalidade promover a integração de todos e uniformizar os processos, independentemente da região onde cada um está situado. Tudo isso por meio de um sistema global que pode ser acessado por todos, a qualquer momento e em qualquer lugar.

Agilidade na implantação e nos processos

A simplicidade dessa ferramenta consiste em uma única aplicação que está disponível para todos os funcionários, mantendo-os o tempo todo conectados a uma rede interna ou à própria internet, armazendo dados em um ambiente virtual — a “nuvem”. Não há a necessidade de investir em infraestrutura ou hardware específicos.

Esse ambiente virtual leva à agilização dos processos, pois as informações relacionadas à tomada de decisão estão sempre disponíveis, eliminando a necessidade de reuniões de planejamento ou consulta entre os gestores. Para importadoras que precisam tomar decisões rápidas, principalmente em épocas onde a taxa de câmbio varia constantemente, o cloud computing permite maior dinamismo na hora de realizar a aquisição de insumos.

Inteligência para analisar os negócios

O cloud computing não é apenas uma forma de interligar computadores e guardar arquivos online, mas também uma poderosa ferramenta de inteligência de negócios. Por meio dele, é possível também transformar dados em informações cruciais para análise do desempenho da empresa. Isso promove a automatização da análise de resultados, possibilitando que gestores determinem facilmente onde devem concentrar os seus esforços, e conheçam detalhadamente cada processo ou produto.

Para o setor de estoque, o cloud computing tem como papel facilitar o seu controle. Ao produzir informações sobre demanda, disponibilidade e custos, ele ajuda a determinar quais produtos têm mais ou menos saída, quanto é gasto no armazenamento e a quantidade necessária e a de determinado insumo. Ou seja, o cloud computing reduz o tempo gasto com planejamento e o prejuízo com produtos parados.

Descentralização para aumento da produtividade

Uma vez disponibilizadas as informações da empresa na nuvem, é possível que tanto gestores quanto funcionários possam tomar decisões. Não depender de um comando central faz com que as escolhas sejam mais dinâmicas e se adaptem facilmente às mudanças do mercado. Além disso, uma vez que o cloud computing já entrega os dados processados de acordo com as métricas consideradas relevantes para a organização, não existe risco de decisões sejam tomadas fora de suas diretrizes centrais e das estratégias estabelecidas pela alta gerência.

Esta descentralização leva ao aumento na produtividade, pois os colaboradores não passam mais tanto tempo com atividades operacionais, focando aquelas que de fato agregam valor ao cliente. Por exemplo, com as informações já processadas setores como estoque e compras, ao invés de se centrarem nas análises de demanda e capacidade produtiva, podem voltar seus esforços para a busca de fornecedores mais baratos e com melhor qualidade.

Quer saber mais sobre cloud computing para importadoras? Deixe seu comentário com suas dúvidas e sugestões de temas para os próximos posts!

OUTROS POSTS

DUIMP: tudo sobre a Declaração Única de Importação

Postado em 6 de dezembro de 2018

Multas na importação: Como evitá-las?

Postado em 1 de novembro de 2018

Importação de autopeças: Tudo que você precisa saber

Postado em 27 de junho de 2018

Importação de vinho: como calcular o preço de venda

Postado em 14 de junho de 2018

Gastos com capatazia excluídos da base de cálculo do II

Postado em 5 de abril de 2018

Nota fiscal de Importação: 4 perguntas frequentes

Postado em 25 de janeiro de 2018

Importação de produtos: Os 5 erros cometidos por brasileiros

Postado em 10 de janeiro de 2018

Importação marítima x importação aérea: qual a mais vantajosa?

Postado em 9 de janeiro de 2018

ICMS de produtos importados para revenda: Suspenso em São Paulo

Postado em 30 de novembro de 2017

Como importar pela primeira vez

Postado em 19 de junho de 2017

Podcast Semanal – Episódio 1

Postado em 9 de novembro de 2016

As 3 Vantagens de usar o ComexNF-e para o Importador

Postado em 7 de novembro de 2016

Série de Importação: O valor aduaneiro

Postado em 8 de junho de 2016

Série de importação: Órgãos internacionais

Postado em 24 de maio de 2016

Série de Importação: Modelos de importação

Postado em 11 de maio de 2016

Série de Importação: O despacho aduaneiro

Postado em 11 de maio de 2016

Impostos de importação: veja quais são e saiba como calcular

Postado em 21 de janeiro de 2016

Guia de Importação Para Empresas

Postado em 18 de dezembro de 2015

Software de gestão para importação: Veja as 5 Vantagens

Postado em 17 de dezembro de 2015

Importação por Conta e Ordem: Veja Como Funciona

Postado em 1 de dezembro de 2015

O que é a declaração de importação?

Postado em 26 de novembro de 2015

Como Contratar Um Bom Despachante Aduaneiro

Postado em 12 de novembro de 2015

Como emitir a declaração simplificada de importação?

Postado em 5 de novembro de 2015

NF-e de importação: Aprenda como fazer

Postado em 4 de novembro de 2015

Como um software de gestão pode ajudar sua importadora

Postado em 24 de setembro de 2015

Despachante aduaneiro: O que é e o que faz

Postado em 22 de setembro de 2015

FCI: saiba tudo sobre a Ficha de Conteúdo de Importação

Postado em 17 de setembro de 2015

Precificação de Produtos Importados: 3 itens a considerar

Postado em 11 de setembro de 2015

Saiba mais sobre a substituição tributária na importação

Postado em 7 de agosto de 2015

Cálculo do ICMS na importação: Devo incluir a Taxa da Marinha Mercante?

Postado em 20 de julho de 2015

Devolução de mercadoria importada: é possível?

Postado em 20 de julho de 2015

5 dicas para evitar custos extras com armazenagem numa importação

Postado em 20 de maio de 2015

Bloco K: o que é e como se adequar

Postado em 19 de maio de 2015

COMENTÁRIOS

Existem 0 comente este post.

ADICIONE UM COMENTÁRIO