(Especial para o Dia do Administrador – 09 de setembro)

Se você perguntar ao Google o que os empreendedores de sucesso têm em comum, certamente irá encontrar diversas matérias sobre o assunto. Essas matérias têm um ponto em comum: todas são baseadas em achismos e experiências dos autores, não em pesquisas ou fatos concretos.

Eu fundei a Mainô com 23 anos. Hoje tenho 34, são 11 anos empreendendo. Mesmo assim, se eu fosse listar as características que considero importantes apenas baseado nas minhas experiências, a chance de eu citar algumas de minhas características seriam enormes.

Por outro lado, se olharmos estudos mais sérios, será possível perceber que não existem apenas 3 ou 5 características que os empreendedores de sucesso têm em comum.

O estudo da ONU e os 30 comportamentos empreendedores

Na década de 60, um pesquisador chamado Dr. McClelland realizou um estudo encomendado pela ONU com 200 empreendedores, por um período de 2 anos, em diversos países do mundo. O objetivo desse estudo era encontrar características comuns entre empreendedores de sucesso. Esse trabalho, que hoje é base para o famoso curso Empretec do SEBRAE, resultou em 3 importantes conclusões:

  • Os empreendedores não tinham necessariamente um alto nível de escolaridade;
  • Os empreendedores tinham quebrado um negócio em média 3 vezes;
  • Os empreendedores pesquisados tinham 30 comportamentos em comum.

As duas primeiras descobertas demonstram que para ser um empreendedor bem sucedido é preciso ter experiência prática, não teórica. A graduação do empreendedor é a primeira empresa quebrada! O mestrado é a segunda e o doutorado é a terceira quebra.

Entretanto, ao analisar o terceiro item, podemos concluir que não existe um conjunto pequeno de comportamentos comuns. São 30 comportamentos! Ora, se fizéssemos uma sessão de brainstorm para citar comportamentos de sucesso para empreendedores, provavelmente chegaríamos em palavras como persistência, comprometimento, planejamento e estabelecimento de metas, certo? O meu ponto é que os 30 comportamentos são realmente importantes, de fato, mas não demonstram nenhuma convergência de comportamentos. Pelo contrário, o fato de não se chegar em uma lista com 3 ou 5 comportamentos demonstra total divergência.

A única característica

Uma vez que você esteja convencido que não adianta perguntar aos empreendedores as características que eles consideram que os levaram ao sucesso, é hora de tentar abordagem mais baseada em fatos.

A Endeavor, uma ONG que promove o empreendedorismo pelo mundo, realizou um estudo onde demonstra que 50% dos novos empregos gerados no Brasil provém de 1% de empresas que mais crescem. É como se, num grupo de 100 empresas, 99 empresas criassem apenas 1 emprego e, uma única empresa, criasse 99 empregos. Essas empresas de alto crescimento são as chamadas empresas scaleups, que crescem 20% ao ano por longos períodos consecutivos.

Mas afinal, o que as empresas Scaleup têm em comum?

Crescer é uma decisão

Muito se fala da definição de scaleup como uma empresa que cresce 20% ao ano ao longo de pelo menos 3 anos consecutivos. Mas, em 2017, essa minha visão da definição de empresa scaleup mudou. A Mainô participou do programa Scaleup Rio, que selecionou 20 empresas com perfil de alto crescimento para receber treinamentos em gestão. Tive a felicidade de receber treinamento em gestão dos maiores especialistas em empreendedorismo do mundo: os instrutores da Babson Entrepreneurship Program. Nesse programa conheci o professor Daniel Isenberg, fundador do Babson Entrepreneurship Ecosystem, um programa que visa desenvolver a economia em diversos lugares do mundo através das empresas scaleups. Para minha surpresa, o próprio Daniel dá pouca importância a essa definição formal de Scaleup. Na visão dele, é muito mais importante que uma empresa tenha a mentalidade scaleup.

Isso significa que uma empresa é scaleup quando ela decide ser. Eduardo, basta eu mudar o perfil da minha empresa no LinkedIn e incluir “ScaleUp” no headline que ela vai começar a crescer imediatamente? É claro que não. O ponto é que existem duas mentalidades de empresários e, consequentemente, dois tipos de empresas: as lifestyle business e as scaleups.

1- Lifestyle Business

Numa tradução livre, Lifestyle Business quer dizer “Negócio como estilo de vida”. Na prática, trata-se da mentalidade que a empresa deve ser executada por seus fundadores. Geralmente os empreendedores tem o objetivo exclusivo de sustentar um determinado nível de renda e desfrutar de um estilo de vida. Esse tipo de empresa se caracteriza por distribuir seus lucros entre os sócios e reinvestir pouco ou nenhum capital. Geralmente os próprios sócios executam o trabalho operacional.

2-  Scaleup Business

Trata-se de uma mentalidade de crescimento. São empresas que, independente do porte ou do número de funcionários, tem uma preocupação com escalabilidade. Aqui na Mainô, sempre que revisamos um processo, mesmo quando apenas uma pessoa o está executando, pensamos: “e quando houverem 10 pessoas fazendo isso, vai funcionar?”. As empresas scaleup se caracterizam por pouca ou nenhuma divisão de lucros, investimentos dos sócios ou externos. Os sócios de uma scaleup buscam assumir cada vez mais um papel de gestor e menos operacional.

Conclusão

Todos querem descobrir a única característica que os empreendedores de sucesso têm em comum. Entretanto, antes disso, é preciso definir o que é sucesso para você. Se sucesso é criar um negócio para manter sua família e ganhar um bom salário, a mentalidade lifestyle business é para você. Agora, se você busca não apenas criar um CNPJ, mas criar uma organização que promova o crescimento dos clientes, das pessoas e do ecossistema no qual a empresa está inserida, é preciso ter mentalidade scaleup.

A Mainô é uma scaleup desde seu primeiro dia de fundação. Ainda que tenhamos quebrado 3 vezes, ainda que tenhamos faturado zero no primeiro ano de fundação, a Mainô sempre foi uma empresa scaleup, pois a mentalidade dos fundadores sempre foi de crescimento. Hoje, através do nosso sistema, dos nossos conteúdos e dos nossos eventos, ajudamos outros empreendedores a desenvolver essa mesma visão: sair do operacional e ir para a gestão.

Se é pra dar opinião pessoal, então aqui vai a minha: ser scaleup é minha definição de sucesso. E a mentalidade de crescimento é a única característica de uma empresa scaleup. Se não é garantia de sucesso, ter a mentalidade de crescimento pelo menos demonstra que você está no caminho certo.

OUTROS POSTS

O que é CNAE? Aprenda a classificar a sua empresa.

Postado em 15 de janeiro de 2019

Especial Melhores do Ano de 2018

Postado em 28 de dezembro de 2018

4 dicas para reuniões produtivas

Postado em 20 de dezembro de 2018

Custo do produto: Como montar uma ficha técnica?

Postado em 6 de novembro de 2018

Como utilizar a curva ABC na prática em seu comércio

Postado em 16 de outubro de 2018

4 dicas para um bom planejamento e controle de produção

Postado em 11 de outubro de 2018

O jeito Disney de encantar os clientes aplicado a seu negócio

Postado em 13 de setembro de 2018

Como escolher um software de gestão para auto peças

Postado em 23 de agosto de 2018

Tabela CFOP: o que é e para que ela serve?

Postado em 10 de julho de 2018

Por que não usar planilhas para gerenciar dados da empresa?

Postado em 28 de junho de 2018

4 passos para reduzir a inadimplência no meu comércio

Postado em 4 de junho de 2018

Determinando contabilmente o preço de um produto

Postado em 17 de maio de 2018

Novidade no Sistema: Módulo de Planos de Contas

Postado em 15 de maio de 2018

Tudo o que você precisa saber sobre Microempreendedor Individual (MEI)

Postado em 27 de abril de 2018

5 dicas fundamentais para encantar e reter clientes

Postado em 12 de abril de 2018

Guia Certificado Digital ICP-Brasil

Postado em 26 de março de 2018

Pis e Cofins na importação: como recuperar impostos

Postado em 8 de março de 2018

Por que é vital a correta classificação fiscal da importação

Postado em 1 de março de 2018

Retrospectiva de 2017

Postado em 3 de janeiro de 2018

Case de Sucesso Comex NF-e: H3 Trading

Postado em 16 de novembro de 2017

Para que serve a licença de importação?

Postado em 19 de outubro de 2017

Fim do emissor gratuito da Sefaz Maranhão

Postado em 13 de outubro de 2017

Fim dos boletos sem registro: mais segurança nas transações

Postado em 4 de outubro de 2017

A morte dos ERPs completos

Postado em 20 de setembro de 2017

Como reduzir custos de empresas de Comex

Postado em 14 de setembro de 2017

3 coisas que aprendi que vão mudar sua empresa

Postado em 31 de agosto de 2017

Redução no imposto de importação para 4,9 mil produtos

Postado em 18 de agosto de 2017

A Mainô agora faz parte do Hub do Empreendedor!

Postado em 7 de agosto de 2017

Planejamento de Estoque: Inimigo ou Aliado?

Postado em 24 de julho de 2017

Pis e Cofins na Importação: Como Recuperar Impostos

Postado em 18 de maio de 2017

NF-e de Importação: como calcular igual seu despachante?

Postado em 29 de agosto de 2016

O Retorno do Investimento da adoção de ERPs Cloud para PME

Postado em 14 de julho de 2016

Software de gestão: por que sua empresa deve ter um

Postado em 16 de maio de 2016

Os 5 maiores mitos sobre tecnologia na nuvem

Postado em 29 de abril de 2016

Como reduzir custos na empresa de forma profissional

Postado em 14 de abril de 2016

Como uma empresa de importação reduziu 97% do desperdício

Postado em 14 de abril de 2016

Guia de Gestão Financeira e Fiscal para Empresas

Postado em 12 de abril de 2016

7 dicas infalíveis para ter uma empresa de sucesso

Postado em 1 de março de 2016

5 vantagens de utilizar um software na nuvem

Postado em 21 de janeiro de 2016

Planilha de controle de estoque: video explicativo

Postado em 6 de outubro de 2015

Como Recuperar os Impostos da Sua Empresa ?

Postado em 25 de agosto de 2015

COMENTÁRIOS

Existem 0 comente este post.

ADICIONE UM COMENTÁRIO