Em tempos de crise todas as ações das empresas devem ser direcionadas para maximizar seus lucros e diminuir suas despesas e custos. Mas é importante que os empresários tenham em mente que tão importante quanto diminuir seus custos é buscar reduzir a sua taxa de inadimplência.

Em tempos de recessão, as pessoas/empresas têm sua renda diminuída, aumentando a taxa de inadimplência. E isso acarreta em uma reação em cadeia que vai desde a falta de caixa para pagar os débitos até o congelamento da economia.  Nesse contexto, uma preocupação constante de qualquer empresa é reduzir a inadimplência de seus clientes, pois isso irá impactar não apenas no lucro como até mesmo na continuidade do negócio.

Nos últimos anos as políticas governamentais possibilitaram uma ampliação do crédito a fim de aquecer a economia. No entanto, com cenário atual de crescimento dos índices de inadimplências e desemprego, é preciso ter cautela ao ceder créditos e blindar a empresa contra a possibilidade de não pagamento.

Embora a maioria desses índices tragam informações sobre consumidores finais, o mercado opera em cadeia. Distribuidores e atacadistas também são afetados através de seus clientes varejistas por essas taxas.

Nesse artigo traremos dicas valiosas para melhorar seus processos e reduzir a inadimplência no seu comércio do setor de distribuição e atacado. Continue conosco e saiba como ter bons resultados mesmo em meio à crise.

Passo 1. Limite o crédito de seus clientes para reduzir a inadimplência

Antes de conceder crédito a seus clientes é fundamental que conheça o perfil de seu comprador. Isso porque a partir do seu histórico de compras/pagamentos é possível verificar se ele tem a reputação de bom pagador. Assim, sua empresa pode evitar surpresas futuras.

Além disso, quando as compras são de somas muito altas, é importante ter um processo cauteloso de vendas, que inclui uma boa investigação do seu comprador bem como um contrato que garanta ressarcimento em caso de não pagamento.

As agências de proteção ao crédito são ótimas ferramentas para isso. Adotar como padrão consultas ao Serasa, SPC e verificar se existem títulos protestados em cartórios são rotinas que devem ser seguidas por todo setor de cadastro de clientes, principalmente nas vendas a prazo.

A internet ajuda muito quando se trata de pessoa jurídica, exemplo disso é a lista de devedores da Dívida Ativa da União disponibilizada pela Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN).

Passo 2. Formalize suas cobranças

Busque sempre meios de realizar cobranças formais. Vincule seus boletos aos respectivos documentos fiscais. Dessa maneira fica muito mais fácil comprovar e identificar para quais vendas a cobrança se refere, ajudando muito em posteriores ações de cobrança.

Deixe as informações claras para seus clientes no corpo do boleto, como o que está sendo pago, juros e multas por atraso e, principalmente, número da empresa para contato. Essa prática ajuda a dirimir possíveis dúvidas geradas sobre o documento.

Passo 3. Converse com um especialista contábil 

Uma das pessoas mais qualificadas para você conversar sobre formas de evitar ou reduzir a inadimplência no seu comércio é o contador. Ele poderá lhe ajudar a identificar as falhas nos seus processos que contribuem para o problema.

O contador, por meio dos índices de “Giro de Duplicatas a Receber (GDR)” e “Prazo Médio de Pagamento a Fornecedores (PMPF)”, poderá lhe orientar se os atuais prazos de recebimento que são praticados em seu estabelecimento são adequados para cobrir os custos das suas mercadorias. Ou se eles são responsáveis pela sua empresa ter de recorrer a ações como empréstimos de capital de giro junto a instituições financeiras, que por sinal possuem juros altos.

Passo 4. Utilize bons sistemas de gestão para reduzir a inadimplência no seu comércio

Escolher o sistema de gestão correto para o seu negócio é essencial para otimizar seus processos e acompanhar o recebimento de seus clientes. Eles são importantes pois ajudam:

  • a automatizar suas rotinas;
  • padronizar a análise de crédito;
  • permitir uma melhor avaliação das compras pregressas;
  • ajudar nas rotinas de cobrança do seu estabelecimento.

 

Tão bom quanto ter boas vendas é ter a certeza de que irá receber o pagamento delas, não é mesmo? Dessa forma, leve em consideração que se preocupar em reduzir a inadimplência do seu comércio deve ser um ponto a se atentar em qualquer fase da abordagem com o seu cliente, principalmente no momento do cadastro e definição do limite de crédito.

Além disso, não se esqueça de que o auxílio de profissionais especializados, como contadores e administradores, ajuda a identificar situações que agravam o problema. Escolher software especializado e adequados ao modelo do seu estabelecimento permite que a rotina da sua empresa esteja padronizada e de acordo com os seus processos.

Quais dessas estratégias você já utiliza para reduzir a inadimplência no seu comércio? Deixe um comentário!

OUTROS POSTS

Tabela CFOP: o que é e para que ela serve?

Postado em 10 de julho de 2018

Por que não usar planilhas para gerenciar dados da empresa?

Postado em 28 de junho de 2018

Determinando contabilmente o preço de um produto

Postado em 17 de maio de 2018

Novidade no Sistema: Módulo de Planos de Contas

Postado em 15 de maio de 2018

Tudo o que você precisa saber sobre Microempreendedor Individual (MEI)

Postado em 27 de abril de 2018

5 dicas fundamentais para encantar e reter clientes

Postado em 12 de abril de 2018

Guia Certificado Digital ICP-Brasil

Postado em 26 de março de 2018

Pis e Cofins na importação: como recuperar impostos

Postado em 8 de março de 2018

Por que é vital a correta classificação fiscal da importação

Postado em 1 de março de 2018

Retrospectiva de 2017

Postado em 3 de janeiro de 2018

Case de Sucesso Comex NF-e: H3 Trading

Postado em 16 de novembro de 2017

Tributação na Importação: Redução no Paraná e Santa Catarina

Postado em 1 de novembro de 2017

Para que serve a licença de importação?

Postado em 19 de outubro de 2017

Fim do emissor gratuito da Sefaz Maranhão

Postado em 13 de outubro de 2017

Fim dos boletos sem registro: mais segurança nas transações

Postado em 4 de outubro de 2017

A morte dos ERPs completos

Postado em 20 de setembro de 2017

Como reduzir custos de empresas de Comex

Postado em 14 de setembro de 2017

3 coisas que aprendi que vão mudar sua empresa

Postado em 31 de agosto de 2017

Redução no imposto de importação para 4,9 mil produtos

Postado em 18 de agosto de 2017

A Mainô agora faz parte do Hub do Empreendedor!

Postado em 7 de agosto de 2017

Planejamento de Estoque: Inimigo ou Aliado?

Postado em 24 de julho de 2017

Como Emitir Nota Fiscal de Armazenagem

Postado em 3 de julho de 2017

Pis e Cofins na Importação: Como Recuperar Impostos

Postado em 18 de maio de 2017

Como calcular uma NF-e de Importação como seu despachante

Postado em 29 de agosto de 2016

O Retorno do Investimento da adoção de ERPs Cloud para PME

Postado em 14 de julho de 2016

Software de gestão: por que sua empresa deve ter um

Postado em 16 de maio de 2016

Os 5 maiores mitos sobre tecnologia na nuvem

Postado em 29 de abril de 2016

Como reduzir custos na empresa de forma profissional

Postado em 14 de abril de 2016

Como uma empresa de importação reduziu 97% do desperdício

Postado em 14 de abril de 2016

Guia de Gestão Financeira e Fiscal para Empresas

Postado em 12 de abril de 2016

7 dicas infalíveis para ter uma empresa de sucesso

Postado em 1 de março de 2016

5 vantagens de utilizar um software na nuvem

Postado em 21 de janeiro de 2016

Planilha de controle de estoque: video explicativo

Postado em 6 de outubro de 2015

Como Recuperar os Impostos da Sua Empresa ?

Postado em 25 de agosto de 2015

COMENTÁRIOS

Existem 0 comente este post.

ADICIONE UM COMENTÁRIO