Que a legislação tributária brasileira é muito complexa, disso poucos discordam. Para uma empresa que importa então, nem se fala. São tantos fatores a se preocupar como: alíquota do IPI, do ICMS, PIS e COFINS na importação, ocasionando riscos para muitas empresas por acabarem não fazendo o correto.

A grande questão é que as empresas acabam não aproveitando as oportunidades tributárias. Você sabia, por exemplo, que é possível recuperar parte dessas tributações? Então leia o nosso artigo para entender melhor como é possível fazer isso. E aproveite para baixar o Guia de Recuperação de PIS, e COFINS na importação.

Pontos de atenção sobre PIS e Cofins na importação

As constantes alterações na legislação acabam agravando a complexidade de apuração e recolhimento de impostos. Isso é um dos maiores motivos de dúvidas e erros com relação ao PIS e COFINS na importação, principalmente em relação ao aproveitamento de créditos. Há até quem não saiba que é possível recuperá-los.

Esse é um tema que sofreu grandes mudanças a partir de 2015. Esse fato afetou diretamente o cálculo do PIS e COFINS na importação e deve ser atentamente acompanhado para evitar riscos de cálculos indevidos.

Outro ponto bastante sujeito a riscos é a incidência de INSS sobre verbas indenizatórias e que são consideradas de forma incorreta quando calculadas as guias de recolhimento do imposto. Isso gera valores significativos e que podem ser considerados indevidamente, cabendo recursos para sua recuperação.

Além desse, há vários detalhes e especificações tributárias que correm o risco de serem desconsiderados pelas empresas, levando-as a apurações e recolhimentos incorretos. Por isso, um planejamento tributário adequado envolve o acompanhamento e entendimento de alterações na legislação, inclusive com pareceres atuais da autoridade fiscal.

Esse item é importante pois envolve diretamente o imposto a pagar e pode ser determinante para realizar o aproveitamento correto do que a legislação determina para a redução do valor a ser recolhido ao Fisco.

Também é importante contar com uma assessoria especializada em assuntos fiscais e tributários. Ela pode ser determinante para esclarecimentos e condução de atividades de forma correta e sem correr riscos de apuração e recolhimentos indevidos.

Especificamente quanto ao PIS e COFINS na importação, as dificuldades são maiores por ocorrer uma série de peculiaridades que podem confundir ou até mesmo não ser observadas pelas empresas.

Como obter melhor aproveitamento de PIS e Cofins na importação?

Pela complexidade da legislação e alterações constantes em normatizações e regras, as empresas podem deixar de se beneficiar de algumas situações que poderiam vir a reduzir os valores de pagamentos de impostos. Tudo por não considerar como podem vir a diminuir os valores devidos.

Fatos como critérios de cálculos em operações específicas que podem gerar problemas na hora de apuração dos impostos são exemplificados nas seguintes operações, como exemplos:

Ø Compras de itens adquiridos para revenda.

Ø Aquisições de bens e serviços, como insumo na prestação de serviços e na produção de bens a serem vendidos.

Ø Compras de máquinas, equipamentos incorporados ao ativo imobilizado, etc.

Essas e outras operações podem ser avaliadas para terem o aproveitamento de crédito de impostos e permitir a redução de impostos.

Dica importante de conteúdo sobre PIS e Cofins na importação

Nesse cenário, preparamos um e-book em parceria entre a Mainô e Leandro Markus Consultoria para auxiliar os profissionais de comércio exterior em como funciona o Pis e Cofins na Importação.

No mesmo você vai encontrar diversas oportunidades de recuperação ou de economia tributária que podem ser ótimas para as empresas importadoras.

Você poderá ter respostas às seguintes perguntas:

ü direitos de empresas recuperarem PIS e COFINS na importação;

ü prazos e procedimentos para a recuperação de impostos de importações;

ü formas de acionar a recuperação devida;

ü demonstração de regimes especiais na para importação;

ü possibilidades de recuperação de INSS indevidamente apurados.

Siga as dicas apresentadas no e-book, e comece a colher os resultados positivos!

Acesse o material agora mesmo!

OUTROS POSTS

4 passos para reduzir a inadimplência no meu comércio

Postado em 4 de junho de 2018

Determinando contabilmente o preço de um produto

Postado em 17 de maio de 2018

Novidade no Sistema: Módulo de Planos de Contas

Postado em 15 de maio de 2018

Tudo o que você precisa saber sobre Microempreendedor Individual (MEI)

Postado em 27 de abril de 2018

5 dicas fundamentais para encantar e reter clientes

Postado em 12 de abril de 2018

Guia Certificado Digital ICP-Brasil

Postado em 26 de março de 2018

Por que é vital a correta classificação fiscal da importação

Postado em 1 de março de 2018

Retrospectiva de 2017

Postado em 3 de janeiro de 2018

Case de Sucesso Comex NF-e: H3 Trading

Postado em 16 de novembro de 2017

Tributação na Importação: Redução no Paraná e Santa Catarina

Postado em 1 de novembro de 2017

Para que serve a licença de importação?

Postado em 19 de outubro de 2017

Fim do emissor gratuito da Sefaz Maranhão

Postado em 13 de outubro de 2017

Fim dos boletos sem registro: mais segurança nas transações

Postado em 4 de outubro de 2017

A morte dos ERPs completos

Postado em 20 de setembro de 2017

Como reduzir custos de empresas de Comex

Postado em 14 de setembro de 2017

3 coisas que aprendi que vão mudar sua empresa

Postado em 31 de agosto de 2017

Redução no imposto de importação para 4,9 mil produtos

Postado em 18 de agosto de 2017

A Mainô agora faz parte do Hub do Empreendedor!

Postado em 7 de agosto de 2017

Planejamento de Estoque: Inimigo ou Aliado?

Postado em 24 de julho de 2017

Como Emitir Nota Fiscal de Armazenagem

Postado em 3 de julho de 2017

Pis e Cofins na Importação: Como Recuperar Impostos

Postado em 18 de maio de 2017

Como calcular uma NF-e de Importação como seu despachante

Postado em 29 de agosto de 2016

O Retorno do Investimento da adoção de ERPs Cloud para PME

Postado em 14 de julho de 2016

Software de gestão: por que sua empresa deve ter um

Postado em 16 de maio de 2016

Os 5 maiores mitos sobre tecnologia na nuvem

Postado em 29 de abril de 2016

Como reduzir custos na empresa de forma profissional

Postado em 14 de abril de 2016

Como uma empresa de importação reduziu 97% do desperdício

Postado em 14 de abril de 2016

Guia de Gestão Financeira e Fiscal para Empresas

Postado em 12 de abril de 2016

7 dicas infalíveis para ter uma empresa de sucesso

Postado em 1 de março de 2016

5 vantagens de utilizar um software na nuvem

Postado em 21 de janeiro de 2016

Planilha de controle de estoque: video explicativo

Postado em 6 de outubro de 2015

Como Recuperar os Impostos da Sua Empresa ?

Postado em 25 de agosto de 2015

COMENTÁRIOS

Existem 1 comente este post.

  • […] de importação. O governo elevou em 1% a alíquota de COFINS desta operação, mas não permite a empresa se creditar desses 1%. Sendo […]

    Quem deve entregar o SPED Fiscal: empresa ou contabilidade? – Jornal Contábil - 8 de março de 2018 Responder

ADICIONE UM COMENTÁRIO