Recentemente a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) anunciou a criação de uma Nova Plataforma de Cobranças como solução ao fim do boleto sem registro, assunto que tem sido muito discutido entre empreendedores e instituições de pagamento em todo o país. O impacto é sentido diretamente nas vendas online, já que o segundo meio de pagamento mais utilizado ainda é o boleto.

Segundo dados da Febraban, em 2016, o boleto sem registro representavam 40% dos boletos emitidos no Brasil nas transações online. Este cenário vai mudar até o final de 2017, pois esta modalidade deixará de existir. Neste tipo de transação, o boleto não tem a obrigatoriedade de ser registrado em um sistema bancário, nem especificar valor, data de vencimento e não exige pagamento exclusivo em um determinado banco.

Este meio de pagamento ainda é o mais usado pelos brasileiros e empresários de diversos setores estão preocupados com os encargos provenientes da adoção dos boletos registrados.

Mais segurança nas transações

Há uma carga muito maior de segurança nas transações, todas são rastreadas. Assim que um boleto registrado é emitido, o banco recebe imediatamente um arquivo digital com todas as informações que levam à identificação da empresa ou pessoa que rezará o pagamento do boleto (CPF ou CNPJ, endereço, valor da cobrança, data de pagamento e instruções de encargos em caso de atraso).

Acabar com a modalidade dos boletos sem registros é uma medida que a Febraban está tomando para frear os altos índices de fraudes nas transações, principalmente nas vendas online. Segundo a instituição, o uso de código de barras para realizar pagamentos é utilizado desde os anos 90 e era necessário fazer mudanças por conta das novas tecnologias que podem tornar as cobranças mais seguras. No modelo registrado, os empresários conseguem saber mais facilmente os boletos emitidos, quando o cliente pagou e o que pagou (produto ou serviço).

Facilidade no dia a dia

A Mainô oferece uma solução para facilitar as operações de empresas que qualquer porte, que une a praticidade do boleto sem registro à segurança do boleto registrado. Com o Traxo, o cliente não precisa de uma carteira de cobrança nem passar pelo lento processo de homologação com o banco. A geração do boleto acontece de forma simples através da criação de uma conta de pagamento específica. Desta forma, o cliente paga o boleto e em dois dias o empresário recebe o dinheiro, já descontada a tarifa que é mais baixa que os valores praticados pelos bancos e pode excluir ou alterar boletos sem custos adicionais.

O sistema é seguro. Os boletos são gerados através do PJBank, que é uma instituição de pagamento do grupo Superlógica. No credenciamento, é criada uma conta de pagamento com seu CNPJ, e o dinheiro não trafega por qualquer outra conta. Esse tipo de conta é regulamentado pela lei 12.865 de 2013. Esta legislação obriga empresas como o PJBank manter garantias reais, depósitos compulsórios e seguir padrões de segurança e mitigação de riscos.

Ah, sem falar que acabou a tarefa trabalhosa de enviar e receber arquivos de remessa. Tudo é automático. O cliente pagou, o sistema dá baixa diretamente.

 

OUTROS POSTS

Case de Sucesso Comex NF-e: H3 Trading

Postado em 16 de novembro de 2017

Tributação na Importação: Redução no Paraná e Santa Catarina

Postado em 1 de novembro de 2017

Para que serve a licença de importação?

Postado em 19 de outubro de 2017

Fim do emissor gratuito da Sefaz Maranhão

Postado em 13 de outubro de 2017

A morte dos ERPs completos

Postado em 20 de setembro de 2017

Como reduzir custos de empresas de Comex

Postado em 14 de setembro de 2017

3 coisas que aprendi que vão mudar sua empresa

Postado em 31 de agosto de 2017

Redução no imposto de importação para 4,9 mil produtos

Postado em 18 de agosto de 2017

3 Principais causas de multas no processo de importação

Postado em 15 de agosto de 2017

A Mainô agora faz parte do Hub do Empreendedor!

Postado em 7 de agosto de 2017

Planejamento de Estoque: Inimigo ou Aliado?

Postado em 24 de julho de 2017

Como Emitir Nota Fiscal de Armazenagem

Postado em 3 de julho de 2017

Pis e Cofins na Importação: Como Recuperar Impostos

Postado em 18 de maio de 2017

Como calcular uma NF-e de Importação como seu despachante

Postado em 29 de agosto de 2016

O Retorno do Investimento da adoção de ERPs Cloud para PME

Postado em 14 de julho de 2016

Software de gestão: por que sua empresa deve ter um

Postado em 16 de maio de 2016

Os 5 maiores mitos sobre tecnologia na nuvem

Postado em 29 de abril de 2016

Como reduzir custos na empresa de forma profissional

Postado em 14 de abril de 2016

Como uma empresa de importação reduziu 97% do desperdício

Postado em 14 de abril de 2016

Guia de Gestão Financeira e Fiscal para Empresas

Postado em 12 de abril de 2016

7 dicas infalíveis para ter uma empresa de sucesso

Postado em 1 de março de 2016

5 vantagens de utilizar um software na nuvem

Postado em 21 de janeiro de 2016

Planilha de controle de estoque: video explicativo

Postado em 6 de outubro de 2015

Como Recuperar os Impostos da Sua Empresa ?

Postado em 25 de agosto de 2015

COMENTÁRIOS

Existem 0 comente este post.

ADICIONE UM COMENTÁRIO